Manaus, 28 de setembro de 2020
PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Comunidade indígena amazônica recebe pela primeira vez testes rápidos de Covid-19

blank
(crédito: Reprodução)
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Seis meses após o anúncio do primeiro caso de Covid-19 no Brasil, a comunidade indígena Sahu-Apé, no Amazonas, recebeu os primeiros testes rápidos para conhecer a incidência do vírus.

Uma brigada da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) chegou nesta sexta-feira à comunidade de casas de tijolo e telhados de palha, localizada no município de Manacapuru, a 37 km de Manaus, e habitada por 14 famílias da etnia Sateré-Mawé.

“Durante toda a pandemia, tivemos dificuldade com a doença. Mas graças a Deus, é a primeira vez que fazemos este teste aqui na aldeia. Durante esse tempo todo, ficamos só no remédio caseiro, xarope”, conta Sahu da Silva, 41, delegado de saúde na comunidade.

Vestidos com macacões, máscaras e luvas, enfermeiros medem a temperatura e pressão dos indígenas e, depois, extraem uma amostra de sangue da ponta de seus dedos, para saber se eles estiveram expostos ao vírus.

Conheça nossos serviços

– Mentorias
– Media Training
– Digital Influencer
– Cerimonialista
– Produção de Vídeos
– Curso – Método da Rosa

“É a primeira vez que fazemos testes dentro da aldeia, mas a equipe vem acompanhando a comunidade desde o início da pandemia”, conta o enfermeiro Reginaldo Viana, 43. Sua brigada trabalha em 10 aldeias de Manacapuru, onde vivem cerca de 700 indígenas de diferentes etnias. De 90 testes, 43 deram positivo, com um óbito.

Entre os 900 mil indígenas que vivem em diferentes regiões do país, de 212 milhões de habitantes, foram registrados mais de 31 mil casos de Covid-19 e 797 mortes, segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib).

A comunidade Sahu-Apé, no entanto, segue aberta ao turismo, um de seus principais sustentos. “Estamos abertos à visitação, mas com alguns cuidados, como o uso da máscara. Porque a gente depende do turismo. A gente vive da nossa cultura, os rituais, mas também estamos preocupados com a segurança, não só a nossa, como também a do visitante”, explica Sahu da Silva.

blank

Voce pode gostar também!

Conheça meus serviços

É um serviço especializado realizado por mim Jornalista Marcela Rosa , especialista em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV, Na minha mentoria on line eu vou te orientar de forma individualizada nos seus trabalhos de vídeo ou ainda de textos para TV ou internet.

Nas Redes Sociais, como jornalista,eu atuo de uma forma diferenciada. Na verdade, uso a minha imagem e o meu texto (fala) como “referência” digital para produtos e serviços que coadunam com meu perfil de mulher adulta, mãe e profissional da comunicação.

O Cerimonial de uma jornalista busca sempre aliar competência e credibilidade com a imagem e a voz que vão representar empresas e organizações.

O meu maior Knowhow é sem dúvida a produção, redação e apresentação de vídeos jornalísticos. E todo este conhecimento é reproduzido nas propostas institucionais.

Playlist - Manchetes da Rosa

Iniciar Atendimento
1
Olá bem-vindo ao Portal da Marcela Rosa!

Em que podemos te ajudar? Os nossos serviços são:

- Mentorias em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV.
- Média Training
- Digital Influencer
- Cerimonialista (Português, Inglês e Espanhol)
- Produção de vídeos

Estamos a disposição para atendê-lo, aguardamos você!