Manaus, 24 de maio de 2020
PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Coronavírus e dengue, uma mistura explosiva na Amazônia peruana

Em foto divulgada pelo Ministério da Saúde do Peru, funcionários desinfectam área com mosquitos da dengue, na Amazônia peruana - Ministerio de Salud de Perú/AFP/Arquivo
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

A atenção concentrada na luta contra o novo coronavírus reduziu a capacidade de combater a dengue no Peru, o que desencadeia uma situação particularmente explosiva na região amazônica, onde essas doenças deixam um rastro de mortes nas cidades e remotas comunidades indígenas.

“Temos dengue, leptospirose e malária, e agora o coronavírus”, contou por telefone à AFP o diretor de Saúde da região amazônica de Loreto, um dos locais mais afetados pela COVID-19 no Peru, Carlos Calampa. A região faz fronteira com o Brasil, a Colômbia e o Equador.

A luta contra a pandemia do novo coronavírus dificultou os esforços para conter a dengue, que este ano aumentou quase seis vezes no Peru em relação a 2019.

O aumento se deve em parte ao fato de que fortes chuvas na floresta favoreceram o aumento dos focos do mosquito transmissor da doença.

“Temos vários casos [de dengue] nas províncias de Nauta e Requena [em Loreto], onde vamos fumigar 8.000 casas”, disse Calampa, que se preocupa com as comunidades isoladas, onde foram registradas 75 mortes pela COVID-19.

Conheça nossos serviços

– Mentorias
– Media Training
– Digital Influencer
– Cerimonialista
– Produção de Vídeos
– Curso – Método da Rosa

Em Loreto e Ucayali (também na fronteira com o Brasil), o coronavírus matou 350 pessoas, das 5.184 que foram infectadas. O número é baixo em comparação à capital, Lima, onde mais de 1.000 mortes foram notificadas. No entanto, proporcionalmente a população que vive na região da floresta é muito menor.

Uma vasta área verde com exuberante vegetação tropical situada ao leste dos Andes, a floresta peruana tem pouquíssimas estradas e o principal meio de transporte é a navegação fluvial. O percurso para sair de uma comunidade remota para um posto de saúde pode levar até três dias.

Com hospitais colapsados pela demanda do coronavírus em todo o país, foram registrados este ano no Peru 24.957 casos de dengue, dos quais 34 morreram, segundo o Ministério da Saúde.

Em todo o ano de 2019, apenas ocorreram 16 mortes por essa doença transmitida por meio de um mosquito.

Segundo dados oficiais, em Loreto, onde nasce o rio Amazonas, e em Madre de Dios, na floresta central do Peru (e na fronteira com a Bolívia e o Brasil), este ano há quase seis vezes mais casos de dengue do que no ano passado.

– Medicina tradicional –

A dengue é uma doença endêmica que ocorre em áreas tropicais, cujos sintomas são febre alta, dores de cabeça, náusea, vômito, dores musculares e, nos casos mais graves, hemorragias que podem levar à morte.

“Estamos preocupados que o coronavírus e a dengue estejam (simultaneamente) atacando comunidades indígenas”, disse à AFP Francisco Hernández Cayetano, líder da Federação das Comunidades Ticuna e Yaguas do Baixo Amazonas, em Loreto.

“Eles são tratados com medicamentos tradicionais para combater essas doenças”, acrescentou Hernández, lamentando a morte de sete pessoas pelo novo coronavírus na vila de Bellavista Callarú.

O Peru, o segundo país com o maior número de casos de COVID-19 na América Latina depois do Brasil, ultrapassou nesta quarta-feira os cem mil casos e os três mil óbitos pelo novo coronavírus.

Voce pode gostar também!

Conheça meus serviços

É um serviço especializado realizado por mim Jornalista Marcela Rosa , especialista em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV, Na minha mentoria on line eu vou te orientar de forma individualizada nos seus trabalhos de vídeo ou ainda de textos para TV ou internet.

Nas Redes Sociais, como jornalista,eu atuo de uma forma diferenciada. Na verdade, uso a minha imagem e o meu texto (fala) como “referência” digital para produtos e serviços que coadunam com meu perfil de mulher adulta, mãe e profissional da comunicação.

O Cerimonial de uma jornalista busca sempre aliar competência e credibilidade com a imagem e a voz que vão representar empresas e organizações.

O meu maior Knowhow é sem dúvida a produção, redação e apresentação de vídeos jornalísticos. E todo este conhecimento é reproduzido nas propostas institucionais.

Playlist - Manchetes da Rosa

Iniciar Atendimento
1
Olá bem-vindo ao Portal da Marcela Rosa!

Em que podemos te ajudar? Os nossos serviços são:

- Mentorias em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV.
- Média Training
- Digital Influencer
- Cerimonialista (Português, Inglês e Espanhol)
- Produção de vídeos

Estamos a disposição para atendê-lo, aguardamos você!
Powered by