Manaus, 14 de julho de 2020
PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

De janeiro a junho, Denarc apreendeu mais de 3 toneladas de drogas

Foto: Alailson Santos e Erlon Rodrigues/PC-AM
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

No mês que compreende o Dia Internacional de Combate às Drogas (26 de junho), o Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil, sob o comando da delegada-geral Emília Ferraz e coordenado pelo delegado Paulo Mavignier, diretor do departamento, divulga o balanço oriundo das operações efetuadas nos cinco primeiros meses de 2020, e que resultaram na apreensão de mais de 3 toneladas de entorpecentes.

“As ações do Denarc foram excelentes e com resultados importantes. Fizemos a apreensão de quase 3 toneladas em operações fluviais e urbanas, mas a maior parte das apreensões foi nas fluviais, pois 90% da droga que entra em Manaus passa pelos rios”, comenta o delegado Paulo Mavignier.

Ainda de acordo com a autoridade policial, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) afetou diretamente o tráfico na região. “Há um trabalho intenso das vigilâncias sanitárias municipais e, com o decreto estadual que proibiu o transporte de passageiros, houve uma problemática para o tráfico, que teve uma dificuldade de logística muito grande”, explica Mavignier.

Conheça nossos serviços

– Mentorias
– Media Training
– Digital Influencer
– Cerimonialista
– Produção de Vídeos
– Curso – Método da Rosa

No mês de janeiro, foram apreendidos 757 quilos de maconha tipo skunk e 44 quilos de cocaína; em fevereiro, foram 47 quilos de maconha; em março, 785 quilos de maconha e 56 quilos de cocaína; em abril, 982 quilos de maconha e 158 quilos de cocaína; em maio, foram 93 quilos de maconha; e, nos 15 primeiros dias de junho, foram 240 quilos de maconha, totalizando 3,162 toneladas.

Japurá (distante 744 quilômetros em linha reta da capital), Marãa (distante 634 quilômetros da capital) e Tefé (distante 523 quilômetros da capital) foram alvos de grandes apreensões nos últimos meses. “Isso mostra a musculatura do Denarc para atuar em todo o Amazonas. As principais rotas de entrada de drogas no estado são os rios Japurá, Içá e Solimões. Todos fazem fronteira com a Colômbia”, fala Mavignier.

Além das drogas, as ações de repressão ao tráfico resultaram nas prisões de 35 pessoas e indiciamento de outras 40, e na apreensão de 15 armas de fogo, 118 munições, granadas, oito veículos, uma embarcação e mais de R$ 8 mil, em espécie. “Boa parte dos entorpecentes tem como destino Manaus, mas quando se trata de cocaína, ela tem como destino o Sudeste, o Nordeste e a Europa”, detalha o delegado.

O delegado ressalta, também, a adesão do departamento ao Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia), do Ministério da Justiça e Segurança Pública. “O programa, criado em janeiro de 2020, tem o objetivo de dar suporte logístico para operações desencadeadas, principalmente na zona de fronteira do Amazonas, que compreende Colômbia e Peru. Estamos colhendo bons frutos desde então”, diz ele.

Apreensões

Além das drogas, as ações de repressão ao tráfico resultaram nas prisões de 35 pessoas e indiciamento de outras 40. (Foto: Alailson Santos e Erlon Rodrigues/PC-AM).

O diretor do Denarc salienta também que o entorpecente mais apreendido na região é a maconha tipo skunk. “É uma supermaconha e tem valor elevado no mercado do Amazonas, quase 400% mais cara que a maconha paraguaia, que comumente é apreendida no Sudeste, além da cocaína e da pasta base”, pontuou o diretor do Denarc.

Para obter resultados positivos, o departamento conta com apoios importantes de órgãos como Receita Federal (RF), com o cão Odin, que alavancou os trabalhos do departamento; SSP; Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera); Departamento de Polícia do Interior (DPI); e Delegacia Fluvial (Deflu).

“Em quase quatro anos de existência, o Denarc apreendeu quase 25 toneladas de drogas e vem se especializando na interceptação de carregamentos, quebrando recordes que trouxeram resultados estratosféricos de apreensões”, destaca Paulo Mavignier.

Para concluir, o diretor do DRCO ressaltou que denúncias podem ser feitas por meio do número 181, o disque-denúncia da SSP.

Voce pode gostar também!

Conheça meus serviços

É um serviço especializado realizado por mim Jornalista Marcela Rosa , especialista em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV, Na minha mentoria on line eu vou te orientar de forma individualizada nos seus trabalhos de vídeo ou ainda de textos para TV ou internet.

Nas Redes Sociais, como jornalista,eu atuo de uma forma diferenciada. Na verdade, uso a minha imagem e o meu texto (fala) como “referência” digital para produtos e serviços que coadunam com meu perfil de mulher adulta, mãe e profissional da comunicação.

O Cerimonial de uma jornalista busca sempre aliar competência e credibilidade com a imagem e a voz que vão representar empresas e organizações.

O meu maior Knowhow é sem dúvida a produção, redação e apresentação de vídeos jornalísticos. E todo este conhecimento é reproduzido nas propostas institucionais.

Playlist - Manchetes da Rosa

Iniciar Atendimento
1
Olá bem-vindo ao Portal da Marcela Rosa!

Em que podemos te ajudar? Os nossos serviços são:

- Mentorias em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV.
- Média Training
- Digital Influencer
- Cerimonialista (Português, Inglês e Espanhol)
- Produção de vídeos

Estamos a disposição para atendê-lo, aguardamos você!