Manaus, 28 de julho de 2021
PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Líderes mundiais decidem superar “nacionalismo das vacinas” contra a covid-19

FOTO: EFE/JEFF TOLLAN/APEC
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Os líderes das 21 economias do fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) decidiram nesta sexta-feira “superar o nacionalismo de vacinas” contra a covid-19 para estimular a produção e a distribuição de doses em busca da recuperação sanitária e econômica.

“A pandemia continua tendo um impacto devastador na população e nas economias da região. Só superaremos esta emergência sanitária acelerando um acesso seguro, eficaz, de qualidade e a vacinas com preços acessíveis”, afirmaram os líderes em comunicado conjunto.

Os representantes dos países, entre eles o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o da China, Xi Jinping, se comprometeram a apoiar “a transferência voluntária das tecnologias de produção de vacinas em condições acordadas mutuamente”.

Esta ideia foi retomada pela anfitriã do encontro virtual, a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern, que ressaltou a importância de “superar o nacionalismo de vacinas”

“Nossas conversas nos levaram além do nacionalismo de vacinas. Agora estamos focando em todos os aspectos de contribuir para o esforço global de vacinação: produzir vacinas, compartilhar vacinas e usar vacinas”, declarou em entrevista coletiva depois da reunião.

Ardern convocou a cúpula de maneira urgente na segunda-feira para abordar o impacto da covid-19, que provocou a maior contração das economias da APEC desde a Segunda Guerra Mundial, além da perda de 81 milhões de empregos.

ESPÍRITO DE COOPERAÇÃO

A governante neozelandesa vinculou o maior acesso às vacinas a um “espírito de cooperação” e a “manter os mercados abertos”, e ressaltou que os países da região têm a oportunidade de “sair desta crise de maneira mais inclusiva, mais sustentável e mais adaptável do que nunca”.

O presidente da China, Xi Jinping, destacou que as vacinas são “uma arma poderosa” contra a pandemia e pediu para que as doses sejam mais acessíveis aos países em desenvolvimento, segundo a agência oficial chinesa “Xinhua”.

Durante o discurso no fórum, o líder chinês lembrou que Pequim forneceu mais de 500 milhões de doses a países em desenvolvimento e anunciou que entregará US$ 3 bilhões em ajuda internacional nos próximos três anos para apoiar a recuperação desses países.

Os 21 líderes reconheceram “a importância de um ambiente de comércio e investimento livre, aberto, justo, não discriminatório, transparente e previsível, que possa ajudar a combater os impactos de longo alcance da pandemia da covid-19”.

Além disso, os membros da APEC concordaram em trabalhar em uma agenda de reformas estruturais para impulsionar a produtividade, a inovação e a digitalização a fim de assegurar o crescimento futuro.

ENCONTRO ENTRE XI E BIDEN

Ardern negou que a reunião virtual de duas horas e meia tenha mostrado quaisquer sinais de tensão entre Xi Jinping e Joe Biden, no primeiro encontro entre ambos em uma cúpula desde que o político americano chegou à Casa Branca.

Biden fez da concorrência estratégica com a China uma prioridade máxima da política externa e vê uma relação mais estreita com os países do Pacífico como necessária para frear as ambições comerciais e territoriais do gigante asiático.

Durante a cúpula, Biden tinha previsto detalhar o impacto que os seus planos econômicos poderiam ter na “prosperidade” da região do Pacífico e que justificar os esforços do governo americano para enviar um “arsenal de vacinas” e recursos contra a covid-19 para a região, de acordo com a Casa Branca.

A primeira cúpula de emergência na história da APEC contou também com a presença virtual do presidente da Rússia, Vladimir Putin, entre outros líderes do bloco, que representa 60% do produto interno bruto (PIB) mundial e 40% da população mundial.

Também estiveram presentes o presidente do Chile, Sebastián Piñera; o do Peru, Francisco Sagasti; e a secretária de Economia do México, Tatiana Clouthier, representando o presidente Andrés Manuel López Obrador.

Fundado em 1989, o fórum APEC é integrado por Austrália, Brunei, Canadá, Coreia do Sul, Chile, China, Estados Unidos, Filipinas, Hong Kong, Indonésia, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Papua-Nova Guiné, Peru, Rússia, Singapura, Tailândia, Taiwan e Vietnã.

Voce pode gostar também!

Estamos ao vivo clique aqui!

Conheça meus serviços

É um serviço especializado realizado por mim Jornalista Marcela Rosa , especialista em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV, Na minha mentoria on line eu vou te orientar de forma individualizada nos seus trabalhos de vídeo ou ainda de textos para TV ou internet.

Nas Redes Sociais, como jornalista,eu atuo de uma forma diferenciada. Na verdade, uso a minha imagem e o meu texto (fala) como “referência” digital para produtos e serviços que coadunam com meu perfil de mulher adulta, mãe e profissional da comunicação.

O Cerimonial de uma jornalista busca sempre aliar competência e credibilidade com a imagem e a voz que vão representar empresas e organizações.

O meu maior Knowhow é sem dúvida a produção, redação e apresentação de vídeos jornalísticos. E todo este conhecimento é reproduzido nas propostas institucionais.

Iniciar Atendimento
1
Olá bem-vindo ao Portal da Marcela Rosa!

Em que podemos te ajudar? Os nossos serviços são:

- Mentorias em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV.
- Média Training
- Digital Influencer
- Cerimonialista (Português, Inglês e Espanhol)
- Produção de vídeos

Estamos a disposição para atendê-lo, aguardamos você!