Manaus, 25 de outubro de 2021
PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Mourão volta a apresentar cenário incompleto para defender atuação na Amazônia

© DIDA SAMPAIO/ESTADÃO O vice-presidente da República, Hamilton Mourão
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Dessa vez na 3ª Cúpula Presidencial pela Amazônia, ocorrida nesta sexta-feira, 8, de modo virtual, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, novamente apresentou um cenário incompleto para defender a atuação do governo na preservação da Floresta, criticada no exterior e por especialistas em meio ambiente. O presidente da Colômbia, Iván Duque, também participava do encontro.

Mourão voltou a dizer que o desmatamento na Amazônia caiu 32% em agosto de 2020, na comparação anual, mesmo número apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro na 76ª Assembleia-geral das Nações Unidas (ONU).

No entanto, como já mostrou o Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a maior floresta tropical do mundo perdeu 1.606 km² de vegetação no referido mês, alta de 7% em relação ao 2020, de acordo com dados de satélite monitorados pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

Ainda assim, o vice-presidente defendeu a política de preservação da floresta. Por outro lado, ressaltou sua proposta de um “desenvolvimento harmônico e sustentável” – ou seja, que considere a questão econômica e a necessidade de “melhores oportunidades de emprego e renda” para a população local.

“Estamos comprometidos com o bem estar de toda a população amazônica, desde comunidades indígenas tradicionais até trabalhadores urbanos”, declarou o vice-presidente. “Discutir política de preservação para a Amazônia é um exercício complexo”, acrescentou, na cúpula.

Mais cedo, em sua chegada ao Palácio do Planalto, após uma agenda de 12 dias no exterior, Mourão sugeriu a exploração de potássio na Amazônia como forma de conter eventual falta de fertilizantes no Brasil que leve e desabastecimento, questão apontada por Bolsonaro.

De acordo com o vice-presidente, existe uma grande mina de potássio a ser explorada na Amazônia, mas que estaria aguardando licenciamento por conta de comunidades indígenas dos arredores. “Seria uma renda de R$ 10 bilhões por ano para o Estado do Amazonas, além de nos tornar autossuficientes no potássio, fonte de vários fertilizantes”, afirmou.

Voce pode gostar também!

Estamos ao vivo clique aqui!

Conheça meus serviços

É um serviço especializado realizado por mim Jornalista Marcela Rosa , especialista em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV, Na minha mentoria on line eu vou te orientar de forma individualizada nos seus trabalhos de vídeo ou ainda de textos para TV ou internet.

Nas Redes Sociais, como jornalista,eu atuo de uma forma diferenciada. Na verdade, uso a minha imagem e o meu texto (fala) como “referência” digital para produtos e serviços que coadunam com meu perfil de mulher adulta, mãe e profissional da comunicação.

O Cerimonial de uma jornalista busca sempre aliar competência e credibilidade com a imagem e a voz que vão representar empresas e organizações.

O meu maior Knowhow é sem dúvida a produção, redação e apresentação de vídeos jornalísticos. E todo este conhecimento é reproduzido nas propostas institucionais.

Iniciar Atendimento
1
Olá bem-vindo ao Portal da Marcela Rosa!

Em que podemos te ajudar? Os nossos serviços são:

- Mentorias em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV.
- Média Training
- Digital Influencer
- Cerimonialista (Português, Inglês e Espanhol)
- Produção de vídeos

Estamos a disposição para atendê-lo, aguardamos você!