Manaus, 23 de setembro de 2021
PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

CoronaVac é eficaz contra variante Gama, indica estudo feito com profissionais da saúde em Manaus

Anticorpos da CoronaVac é eficaz contra variante Gama. Crédito: Gilnature/istock
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Estudo inédito publicado nesta semana, na revista The Lancet Regional Health Americas, confirmou a eficácia da vacina CoronaVac contra a variante Gama (também conhecida como P.1) do novo coronavírus. A pesquisa, fruto do trabalho do Comitê Assessor Técnico Científico que apoia o Governo do Amazonas, analisou dados de vacinação de profissionais da saúde de Manaus, onde o imunizante foi usado em 97% desse público.

Segundo o infectologista da Fiocruz do Mato Grosso do Sul, pesquisador Júlio Croda, que coordenou os trabalhos, este é o primeiro estudo publicado em uma revista científica sobre a efetividade do imunizante contra a variante Gama, identificada pela primeira vez no Brasil no final do ano passado e determinante para a intensidade da segunda onda de Covid-19 em Manaus.

De acordo com a publicação, a CoronaVac foi 50% eficaz, a partir da primeira dose, para prevenir casos sintomáticos de Covid-19 em locais onde há prevalência da variante Gama. “Os dados deste estudo confirmaram os dados do ensaio clínico inicial da vacina, de 50%, feito antes de surgirem as novas variantes. Mas é importante destacar que o imunizante previne formas graves da doença, não os casos leves e assintomáticos”, explicou.

 

Proteção a partir de 14 dias– Júlio Croda, que também é professor da Universidade Federal de Mato Grosso, ressalta que a proteção ocorre a partir do 14º dia de aplicação das doses. Por esse motivo, é fundamental manter todos os cuidados não farmacológicos até lá, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

“Nos primeiros 13 dias, você tem um aumento das chances de ser infectado, não porque a vacina é ineficaz, mas porque ainda não há proteção suficiente e as pessoas acabam se expondo mais”, alertou.

 

Controle da transmissão – O estudo, publicado na edição da revista para as Américas, mostra também que a vacinação, por si só, não vai controlar a transmissão da Covid-19, mas vai prevenir os casos mais severos.

É por este motivo, segundo o pesquisador, que países europeus e os Estados Unidos estão revendo o uso de máscaras, “inclusive por quem já foi vacinado”. Nesta terça-feira (27/07), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recuou e recomendou o uso do acessório. O motivo é a preocupação com a variante Delta, identificada pela primeira vez na Índia.

 

Metodologia – O estudo liderado por Julio Croda analisou os dados de 53 mil profissionais de saúde na capital amazonense. Destes, foram filtrados os que fizeram testes RT-PCR no período de 19 de janeiro a 13 de abril deste ano.

Os profissionais foram divididos em quatro grupos, considerando os que apresentaram sintomas no período e fizeram testes RT-PCR: casos positivos, negativos, profissionais vacinados e não vacinados. “A partir daí fizemos várias comparações nesse público”, disse Croda.

A escolha de Manaus para a realização da pesquisa se deu porque, na cidade, a disseminação da variante P.1 representou 66% das amostras de Covid-19 genotipadas durante o pico da pandemia no início de 2021.

 

Reforço na vacinação – Para o diretor-presidente da FVS-RCP, Cristiano Fernandes, o estudo reforça também a importância do esquema vacinal completo, com duas doses. “A CoronaVac mostrou-se também influente na proteção contra a variante de Gama. Importante salientar que essa linhagem é predominante no Amazonas e o estudo é um incentivo para que as pessoas busquem se vacinar com as duas doses do imunizante, completando o esquema vacinal”, afirmou.

Cristiano salienta, ainda, que é fundamental a manutenção das medidas de prevenção. “Aliada à vacina, o uso de máscara de proteção respiratória, distanciamento e isolamento social e higienização das mãos são necessárias para reduzir a transmissão, morbidade e mortalidade na população”, acrescentou.

 

Parceria – A pesquisa publicada no dia 25 de julho é fruto do trabalho do Comitê Assessor Técnico Científico que apoia o Governo do Amazonas.

Entre os pesquisadores que participaram do estudo estão representantes da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Fundação  Oswaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Leônidas e Maria Deane – Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz Amazônia) e Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), além de pesquisadores de outros estados e dos Estados Unidos.

Voce pode gostar também!

Estamos ao vivo clique aqui!

Conheça meus serviços

É um serviço especializado realizado por mim Jornalista Marcela Rosa , especialista em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV, Na minha mentoria on line eu vou te orientar de forma individualizada nos seus trabalhos de vídeo ou ainda de textos para TV ou internet.

Nas Redes Sociais, como jornalista,eu atuo de uma forma diferenciada. Na verdade, uso a minha imagem e o meu texto (fala) como “referência” digital para produtos e serviços que coadunam com meu perfil de mulher adulta, mãe e profissional da comunicação.

O Cerimonial de uma jornalista busca sempre aliar competência e credibilidade com a imagem e a voz que vão representar empresas e organizações.

O meu maior Knowhow é sem dúvida a produção, redação e apresentação de vídeos jornalísticos. E todo este conhecimento é reproduzido nas propostas institucionais.

Iniciar Atendimento
1
Olá bem-vindo ao Portal da Marcela Rosa!

Em que podemos te ajudar? Os nossos serviços são:

- Mentorias em telejornalismo e produção de vídeos e textos para vídeos e TV.
- Média Training
- Digital Influencer
- Cerimonialista (Português, Inglês e Espanhol)
- Produção de vídeos

Estamos a disposição para atendê-lo, aguardamos você!